sábado, 9 de janeiro de 2016

Convite para reflexão e ação



 

PRESTE MUITA ATENÇÃO!
 
Você está sendo convidado nesta rápida leitura a auxiliar o seu próximo apenas com a sua boa vontade e da melhor forma que puder. Não é ajuda em dinheiro, espécie ou qualquer gênero material. Sua ajuda será de natureza espiritual, dentro da sua crença, ideias e concepções. Leia as instruções a seguir e saiba como pode ajudar, e muito, a salvar vidas e socorrer milhares de almas sofredoras e atormentadas.
 
40 MILHÕES DE ALMAS SOFREDORAS.

 “Pai Nosso que estai no Céu... não nos deixe cair em tentação mas livrai-nos de todo o mal”.

Nos últimos 30 anos, com as intensas transformações ocorridas na sociedade e nas pessoas, mais de 40 milhões de seres humanos se lançaram nas trevas de si mesmos e na escuridão do Além pelas vias do suicídio.

A ligação dessas almas infelizes com os que ficaram na Terra também é intensa e perturbadora, exigindo cuidados permanentes e constantes orações para que se reergam e não influenciem mental e negativamente os que ficaram na condição de seus sobreviventes e também sujeitos à mesma tragédia moral.

É preciso agir de forma urgente, urgentíssima, para que todo esse sofrimento seja de alguma forma aliviado e extirpado dos corações de crianças, jovens, adultos e idosos. Todos sofrem muito e precisam de ajuda.

Essa deve ser uma tarefa e esforço de todos núcleos de pensamento e ação humana, das religiões, filosofias e também da ciência, que podem ajudar a prevenir e diminuir imensamente os sofrimentos inimagináveis dos que foram, dos que ficaram e dos que correm o risco de sucumbir à autodestruição.

 

JORNADAS DE SOCORRO
“Vinde a mim vós que sofreis e Eu vos aliviarei”.



Cada núcleo religioso, humanitário e científico tem suas diferentes formas de compreender o suicídio e ajudar os suicidas; e podem fazer muito para diminuir esses sofrimentos.

Eles estão convocados para uma grande jornada de socorro aos mortos, sobreviventes e suicidas em potencial, empreendendo nas suas particularidades todos os esforços para salvar vidas e amparar os que sofrem, nessa vida ou nas dimensões espirituais.

Todos os procedimentos religiosos, mentais, de cura, bem como o conhecimento acumulado sobre o assunto são muito preciosos. Seu templo, sua igreja, seu grupo de estudos, seu grêmio, grupos de amigos, todos podem colaborar de alguma maneira para prevenir o suicídio e valorizar a vida.

O suicídio não é apenas uma questão existencial ou religiosa. É um assunto de saúde pública e cidadania. Afetas pessoas de todas as cultura, classes sociais e idades.

Todo ser humano, ao menos uma vez na vida, já pensou seriamente em cometer suicídio, seja por rebeldia ou para se aliviar de um grande sofrimento íntimo.
 
PENSAR, ORAR E AGIR PELOS SUICIDAS.

“Ave Maria, cheia de graças, rogai por nós os pecadores, agora e na hora da nossa morte. Amém”

 
VALOR DO CONHECIMENTO

Estude o suicídio de todas as formas que puder, na internet, nos livros, palestras, cursos para voluntários do CVV, suas diversas abordagens, os fatos e os mitos, as estatísticas, agregando conhecimento, desenvolvendo conceitos e eliminando preconceitos em torno do assunto. Conhecimento é sempre força e luz em nossas vidas.


VALORIZE E DINAMIZE SUAS BASES CULTURAIS

Todas os núcleos religiosos, filosóficos e científicos entendem que os suicidas são individualidades em sofrimento e isso desperta nos seus membros a ideia de compaixão e solidariedade. Estude como pensa e age as suas bases em torno de assunto. Esclareça-se e procure esclarecer seus companheiros de crença, ideias e concepções. Troque experiências e busque informações um outros núcleos.

ORGANIZE UM PROGRAMA SEMANAL DE AÇÃO

 Apenas uma ou duas horas por semana é suficiente para agir com amor e eficiência aos que precisam de socorro. Grupos de Oração, Grupos de Estudos, Grupos de Mediação e Doutrinação, Grupos de Visitas e de Divulgação e Palestras, Grupos de Ajuda Oitiva e Compreensiva são alguns exemplos de ações. Essas ações podem ser feitas - individualmente ou em grupo - em escolas, empresas, templos, hospitais, eventos públicos e privados, repartições de serviço público, presídios, etc. Solicite ao CVV treinamento e instruções de como agir e ajudar.

ORAR PELOS QUE SE MATAM OU QUEREM SE MATAR

 Oremos pelo menos uma vez ao dia pelos suicidas. Segundo a OMS –Organização Mundial de Saúde, todos os anos mais de 800 mil pessoas se matam no mundo; uma pessoa a cada 40 segundos. É como se uma cidade muito populosa desaparecesse todos os anos do planeta. O nosso País é o 8º em números absolutos de suicídio no mundo. Isso significa que diariamente 32 pessoas se suicidam, ou 1 pessoa se mata a cada 45 minutos. No Brasil. Vivos ou em outras dimensões, os suicidas clamam por ajuda, enviam pedidos de socorro por meio de pensamentos, sentimentos, sonhos e outros chamados diretos e indiretos de sensibilização. As pessoas dispostas a ajudar podem aliviar essas dores ouvindo os que ainda estão entre nós e também enviando sentimentos de alegria e esperanças aos mortos. Se 1 milhão de pessoas orassem a cada 40 segundos pelos que pretendem se matar, milhares desistiriam da ideia e milhares que se mataram estariam sendo aliviados e socorridos.

FALE ABERTAMENTE SOBRE SUICÍDIO

Mesmo sendo um tabu e assunto cheio de mitos, não tenha medo de falar sobre suicídio ou com pessoas com ideias suicidas. A coragem e a naturalidade é uma poderosa ferramenta de ajuda. Questione as pessoas se elas já pensaram em suicídio. Sempre ofereça apoio moral e informações que você conhece e que podem auxiliar. Use as oportunidades diárias e em todos os lugares para fazer alertas, ouvir os solitários, tristes, angustiados e diminuir o sofrimento pelo suicídio.


 AOS ESPÍRITAS INSTRUÇÕES PRÁTICAS

 “Desperta tu que dormes! Levanta-te dentre os mortos e o Cristo te iluminará”. Paulo. (Efésios 5:14) 

O movimento espírita e as casas espíritas possuem condições privilegiadas para realizar um grande movimento de auxílio aos suicidas.

Das obras de Kardec, Chico Xavier (André Luiz, Emmanuel) e Yvone Pereira (Memórias de um Suicida) jorram um precioso manancial de informações e um convite direto para auxiliar os que se matam.

Organizar eventos culturais de esclarecimento específico, trabalhos especiais de vibrações e trabalhos mediúnicos para acolher, aliviar e reeducar suicidas é, mais do que nunca, um grande e urgente gesto de caridade para com os sofredores deste e de outro mundo.

A epidemia de depressão e síndrome de pânico que assola o mundo atual tem suas origens no mundo espiritual e nos conflitos de existências passadas, cabendo aos centros espíritas explicar e oferecer meios de alívio, transformação e cura.

Para o Dr. Bezerra de Menezes, um dos instrutores que lideram as cruzadas espirituais em socorro aos suicidas, nossas casas devem estar cada mais voltadas para o seu aspecto de pronto-socorro, dada à enorme expansão de problemas de ordem psíquica e emocional.

Um comentário:

Gabriela disse...

Excelente alerta!
Excelente serviço fraterno em prol da vida, por amor ao próximo!
Que Deus te abençoe!
Abraços fraternos!