terça-feira, 11 de dezembro de 2018

João de Deus





SOBRE A REPORTAGEM DE O GLOBO- FANTÁSTICO E AS ACUSAÇÕES CONTRA O MÉDIUM JOÃO DE DEUS. 




A Federação Espírita Brasileira nunca aprovou métodos e práticas curativas que colidem com o exercício legal da medicina. Essas práticas são feitas por iniciativa pessoal e particular e nada tem a ver com as práticas espíritas cristãs tradicionais, sempre em caráter discreto, respeitoso e gratuito. Sobre o bilhete citando Chico Xavier. Chico Xavier sempre foi exemplo dessa postura defendida pela FEB e outras instituições federativas espíritas. A própria história do espiritismo e do cristianismo é repleta desses relatos polêmicos e conflituosos. Chico, entretanto, como pessoa comum e fraterna, sempre foi solidário ( com as pessoas e não com sua atitudes) com médiuns que sofriam perseguições ou que cometiam erros de conduta, mesmo não concordando com suas práticas, por questões doutrinárias. Agia sempre com fraternidade, amparo e orientação moral aos médiuns atingidos por escândalos ou acusações tendenciosas. “Somos todos seres humanos, com falhas a corrigir e virtudes a aperfeiçoar”, dizia Chico. Foi assim, por exemplo, com Otília Diogo (assediada e humilhada publicamente), com Zé Arigó (preso), Edson Queiróz (assassinado) e muitos outros que, segundo ele, passavam por provas dolorosas, por meio de ataques de adversários das verdades espirituais. O próprio Chico não se livrou desses ataques e perseguições por parte desses adversários, lotados em diversos segmentos, mas que não representavam a totalidade dos mesmos.


Ps. A reportagem de O Globo citou um bilhete que Chico enviou ao médium.

Nenhum comentário: